Archive for Fevereiro, 2010

Lisboa – Campanha de Esterilização de Gatos Silvestres

Fevereiro 20, 2010

Trecho da intervenção do Grupo de Lisboa no início da  Assembleia Municipal de Lisboa , de 9 de Fevereiro, que veio a adoptar uma recomendação sobre a suspensão das capturas de gatos das colónias da cidade até à entrada em funcionamento do novo gatil:

“Logo que esta Assembleia aprove a suspensão das capturas, o Grupo de Lisboa da Campanha de Esterilização compromete-se a dinamizar, em colaboração com o canil municipal, uma campanha maciça de esterilização de gatos na cidade, começando por intervir, de forma concertada, nas zonas mais problemáticas. As associações da cidade, os activistas da causa animal, as entidades privadas, as entidades públicas, os media, todos serão convocados a colaborar e estamos certos que darão a sua melhor contribuição para o êxito desta iniciativa pioneira. Por isso é realista que a Campanha com os seus voluntários e apoiantes ambicione proceder à esterilização de 300 gatas por ano e de mais de um milhar de machos. Só em reprodução directa evitar-se-à o nascimento de 3600 gatos num ano. O canil abate cerca de 1000 , ou seja o saldo da nossa acção é francamente superior. O canil queixa-se que o programa CER é sub-utilizado, queremos contribuir para o credibilizar e divulgar junto da população. Estamos aqui a estender uma mão em troca do abandono de práticas violentas e desumanas que repudiamos.”

Os munícipes que desejem colaborar nesta Campanha de Esterilização dos gatos silvestres, que vivem nas colónias na cidade, devem contactar

campanha.esterilizacao@gmail.com

A Campanha encontra-se em fase de estruturação.

Anúncios

Pedido de audiência ao Sr. Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas

Fevereiro 15, 2010

A Campanha de Esterilização e a Associação Animais de Rua pediram, em 10/2, uma audiência ao Sr. Ministro da Agricultura, Dr. António Serrano,para apresentar os seus objectivos e métodos de actuação, assim como para expressar aquilo que, no seu entender, mais urgentemente tem de ser feito pelos organismos da tutela para inflectir a situação actual no que concerne o abandono de animais de companhia e os mais de 100 000 abates/ano daí decorrentes

Guarda precisa de um grupo activo

Fevereiro 12, 2010

O Grupo da Guarda tem unicamente 2 pessoas e precisava de ser um grupo forte para intervir junto dos orgãos autárquicos ( Câmara e Assembleia Municipal) , não só para apresentar os objectivos da Campanha de Esterilização, como para abordar a situação em que se encontram os animais a quem acontece a desgraça de ir parar ao canil

Os deputados municipais têm poderes de fiscalização do executivo e podem ir ao canil fazer uma inspecção e tirar as fotos que entendam e fazerem recomendações em função do que viram.

Acção precisa-se !

Quem quiser aderir à Campanha de Esterilização é favor enviar um e-mail para campanha.esterilizacao@gmail.com

(ler noticias detalhadas em Distrito da Guarda)

 

Assembleia Municipal de Lisboa

Fevereiro 11, 2010

Recomendações aprovadas na AML de 9 de Fevereiro

Recomendação 12, apresentada pelo PSD, BE, PCP e Os Verdes, aprovada sem votos contra e com uma abstenção ( 1 deputado PPM) – ver aqui

Recomendação 12 A, apresentada pelo Bloco de Esquerda, aprovada sem votos contra e com a abstenção do PCP, Os Verdes e 1 deputado do PPM – ver aqui

ÚLTIMA HORA

Fevereiro 9, 2010

Os partidos com assento na Assembleia Municipal de Lisboa aprovaram, por maioria e sem nenhum voto contra, todas as propostas do Grupo de Lisboa relativas à implementação da Campanha de Esterilização na cidade e também a suspensão das capturas dos gatos das colónias da cidade pelo Canil até à entrada em funcionamento do novo gatil.
A Assembleia Municipal de Lisboa tomou hoje uma decisão inovadora e decisiva que vai alterar a triste história da protecção dos direitos dos animais em Lisboa, tornando-se num exemplo para todo o país. O nosso aplauso e a nossa gratidão.

(ver mais informações em Distrito de Lisboa)

Esterilização obrigatória por Lei

Fevereiro 8, 2010

Este artigo, da autoria do Dr. Fernando Rodrigues, Médico Veterinário Municipal de Valongo, foi publicado no blog da ANVETEM (Associação Nacional de Médicos Veterinários dos Municípios).

No link que se encontra no fim do artigo, poderá ler a Tese de Mestrado do Dr. Fernando Rodrigues intitulada “”Estudo prévio para a implantação de um programa de controlo de reprodução em canídeos”, que tem o maior interesse para a problemática de que nos ocupamos neste site.

 

 Esterilização obrigatória por Lei

 Estima-se que em Portugal serão mais de 100.000 os animais anualmente eutanasiados nos centros de recolha oficiais. Este número além de assustador em termos de ética social também o é em termos económicos. Por exemplo, o preço médio de recolha, alimentação, eutanásia e incineração de um canídeo médio ronda os 60 euros, ou seja, por ano em Portugal gasta-se 6 milhões de euros na captura e abate de errantes, sem que sejam estudadas formas de minorar este gasto económico e diminuir a perda de tantas vidas animais.

 Através de estudos já realizados, conclui-se que a esterilização dos animais é o único processo que poderá diminuir de forma definitiva a reprodução dos animais. Para que surtam resultados médio/longo prazo, a esterilização deve ser executada na maioria dos animais. Para tal sou acérrimo defensor da esterilização obrigatória por Lei.

 Contudo, a esterilização não deve ser unicamente imposta. A população detentora de animais deve ser sensibilizada para os seus benefícios em termos de saúde publica e de saúde do próprio animal, como a diminuição do aparecimento de tumores mamários.

 Paralelamente deve o Estado facilitar o acesso à esterilização, comparticipando-a e regulando o seu preço junto das clínicas veterinárias.

 Será possível a substituição da eutanásia pela esterilização nos animais capturados nos centros de recolha oficiais? Certamente que não. Acrescentava-se um gasto maior que seria o da manutenção destes animais que na sua maior parte não arranjariam dono. No entanto, devem também estes centros de recolha oficiais e respectivas Autarquias modernizar-se e munir-se de meios adequados a poderem proceder à esterilização dos animais adoptados.

 Apenas com um esforço global e a abordagem deste tema numa nova perspectiva poderemos mudar a actual passividade a que temos assistido em Portugal perante a falta de controlo populacional de animais.

 Fernando Rodrigues

 Médico veterinário Municipal de Valongo

 Tese de Mestrado , leia aqui