Archive for Julho, 2010

Lançado abaixo-assinado de personalidades dirigido ao Ministro da Agricultura

Julho 25, 2010

“Por uma Campanha Nacional de Esterilização de Cães e Gatos”

Está a correr, até 30 de Setembro, um abaixo-assinado para ser subscrito por personalidades dos diversos sectores do nosso país – do meio cultural, mas também político (nomeadamente autárquico), empresarial, associativo, sindical, etc. –, dirigido ao Senhor Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Eng.º António Serrano, que tutela a DGV, solicitando-lhe o lançamento oficial de uma Campanha Nacional de Esterilização de Cães e Gatos que ponha fim à sobrepopulação, ao abandono daí decorrente e ao abate estimado de mais de 100 000 animais por ano.

 O texto pode ser lido aqui.

 Se pretender subscrever o abaixo-assinado é favor enviar um e-mail para campanha.esterilizacao@gmail.com.

 Se quiser colaborar na angariação de assinaturas é favor dirigir um e-mail para o endereço acima.

Anúncios

Oeiras – Programa RED – Recolha, Esterilização e Devolução de animais errantes – vai arrancar até final de 2010!

Julho 15, 2010

Na reunião de 2 de Julho, entre o Grupo de Munícipes de Oeiras e o Sr. Vereador do Ambiente da CMO, Eng. Ricardo Barros, foram comunicadas as propostas da CMO até final de 2010:

– Iniciar e desenvolver o Programa RED – Recolha, Esterilização e Devolução de animais. Este programa, numa primeira fase, destina-se à recolha e esterilização de gatos.  

– Assegurar 50 esterilizações de animais até final de 2010.

Fotografar os animais do Canil Municipal no Jardim, de forma a poder divulgar-se fotos adequadas dos mesmos e facilitar a adopção destes.

Realizar, bimensalmente, campanhas de adopção no Jardim de Oeiras, em parceria com a Associação Pé-Ante-Pata.

– Só permitir a adopção de animais do Canil depois dos mesmos estarem esterilizados.

– Criar sinergias com o Programa ECO-Escolas, que já promove actividades para crianças e jovens, e introduzir os temas do Bem-Estar Animal, para a sensibilização e informação desta faixa etária.

A reunião prosseguiu com a intervenção da Vanda Araújo da Associação Pé-Ante-Pata e da Teresa Castelo-Branco, que apresentou um Dossier com exemplos de Projectos levados a cabo por diferentes Municípios. Foi destacada a visita que alguns elementos do Grupo de Oeiras fizeram ao Canil/Gatil do Seixal, através de fotografias, que mostram as condições do mesmo e que a presença da Associação e dos voluntários dentro do Canil/Gatil permite que os animais se sintam felizes.

 A reunião terminou com a sugestão do Sr. Vereador de ser feita nova reunião na segunda semana de Setembro, para ponto de situação e continuação dos trabalhos.

Que o exemplo da Câmara de Oeiras nesta matéria seja seguido por outros executivos deste país !

Lisboa – O projecto da cidade mais votado pelos munícipes ainda não passou do papel

Julho 14, 2010

Foi o projecto mais votado pelos lisboetas no orçamento participativo de 2010 mas os representantes do Grupo de Lisboa que estiveram em reunião com o Vereador Sá Fernandes e os responsáveis pelo Canil/Gatil Municipal, no passado dia 1 de Julho, souberam da boca do vereador que o projecto só  agora está  na Divisão de Obras Municipais para lançamento do concurso de empreitada. Quanto ao inicio das obras que o vereador tinha garantido, na reportagem da RTP do dia 3 de Maio, que se iniciariam após o verão, já estão, a ser atiradas para o fim do ano, isto ainda sujeito “ às contingências habituais” (sic).

Relativamente ao cumprimento dos pontos das Recomendações 11 e 12 aprovadas pela Assembleia Municipal de Lisboa, em 9 de Fevereiro ( ver post, neste site, do dia 9/2   ), o panorama não é mais animador.

As capturas dos gatos prosseguem e os pobres animais continuam nas mesmas deploráveis condições de detenção, em completa violação da Recomendação nº 12. Munícipes que têm adoptado gatos do canil vêm-nos morrer ao fim de poucos dias, depois de contagiarem outros animais da casa.

Os obstáculos levantados pela directora do canil, Dr.ª Luísa Costa Gomes, para os tirar daquelas instalações prende-se, diz ela, com a dificuldade legal de construir um espaço provisório ou mesmo procurar espaços alternativos, porque qualquer novo espaço tem de ser previamente legalizado pela DGV.

Mas o mais ridículo é que o próprio canil não está legalizado pela DGV, por contrariar as normas de detenção dos animais previstas no Dec- Lei 315/2003, pelo que estas preocupações só são invocadas para que nada seja feito que beneficie os animais. 

Quanto à discussão do Plano de Implementação da Campanha de Esterilização dos Gatos Silvestres de Lisboa, que é a contrapartida do Grupo de Lisboa  para o cumprimento da Recomendação 12, ficou adiada,  uma vez que os responsáveis do canil não tinham lido o documento de 20 páginas oportunamente enviado, continuando o Grupo a aguardar a recepção da análise do plano, prometida para daí a uma “semana” pela Drª LCG.

Entre 2002 e 2009 o número de abates de cães e gatos no canil/gatil de Lisboa aumentou 39%. A CML, e em particular a sua directora que já está à frente do canil há muitos anos, deviam ter vergonha destes números e tudo tentarem para alterar a situação. Em vez disso, a má vontade  e os obstáculos ao que se propõe, são a postura mais comum.

A morte e sofrimento no canil/gatil de Lisboa é um quotidiano aceite pelos seus responsáveis e só uma atitude enérgica dos munícipes e dos seus representantes na AML mudará isso.

 Ver mais informações na coluna da direita, em Distrito de Lisboa- Lisboa

“Desculpem o desabafo, mas … para quem diz que gosta de animais e os sujeita a isto!!! “

Julho 9, 2010

O mais provável é que a pessoa que tem o comportamento relatado neste email a circular na net ( animais presos à corrente, sem água nem comida, ao sol, a procriarem ,etc ) se enquadre no perfil de “acumulador de animais “ (“animal hoarder” )

“Os acumuladores podem pensar que «amam» os animais, mas não reconhecem o facto de não estarem a cuidar deles de uma forma responsável, mesmo quando os animais passam fome ou estão gravemente doentes. Normalmente, não concebem a ideia de eutanásia, mas muitos animais são «salvos» para definhar num ambiente imundo e superpovoado onde sofrem de má nutrição, doença, inactividade, má ventilação e falta de companhia humana. Encontram-se cães e gatos em jaulas, caixotes, arcas e até armários de cozinha, permitindo-se inclusivamente que alguns se reproduzam. Muitas vezes, os acumuladores não estão em condições de custear todas as castrações e esterilizações (para não falar dos cuidados veterinários de rotina) necessárias a tantos animais, pelo que a sua «colecção» aumenta até que a imundície, o fedor e o barulho atraiam a atenção dos vizinhos, das autoridades sanitárias ou de associações de defesa dos animais. “…

“Talvez a característica psicológica mais proeminente nestes indivíduos seja o facto de os animais (e outros bens) se tornarem centrais na identidade nuclear do acumulador», escreve Patronek na revista Municipal Lawyer. «O acumulador desenvolve uma forte necessidade de controlo, e só a ideia de perder um animal pode produzir uma reacção semelhante a um intenso desgosto. Entrevistas preliminares realizadas pelo HARC [Hoarding of Animals Research Consortium – Consórcio para a Investigação sobre Acumulação de Animais] apontam também para que estes indivíduos tenham crescido em lares caóticos, com uma parentalidade inconsistente, em que os animais possam ter sido o único elemento estável “.

Ler mais em Pet-Abuse.Com – Hoarding http://www.pet-abuse.com/pages/animal_cruelty/hoarding.php#ixzz0noEGUvaW

Abandono dos Animais – Forum da TSF de 2 de Julho

Julho 2, 2010

Oiça, no link abaixo, o debate de hoje

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=1608784