Archive for Maio, 2011

Grupo de Oeiras – Carta Aberta à Câmara Municipal de Oeiras

Maio 27, 2011

Obrigada por nos tornarem mais fortes.
Vamos aprendendo a sobreviver com os obstáculos que nos vão colocando à frente.
Na divulgação do PROTESTO que teve  lugar no dia 14 de Maio em frente à Câmara Municipal de Oeiras, CONTRA AS CONDIÇÕES E PRÁTICAS NO CANIL DE OEIRAS, deparámo-nos com o desaparecimento compulsivo de todos os cartazes que colámos, mais que uma vez, no centro da Vila de Oeiras e noutros locais, optámos por dá-los em mão. Foi uma pena, porque durante o PROTESTO apareceram várias pessoas a dizer-nos que tinha sido mal divulgado, que souberam por acaso e que estavam disponíveis para nos ajudar numa próxima acção.
Mesmo assim, com cartazes rasgados, com a divulgação feita, quase exclusivamente através da internet, conseguimos reunir mais de 250 pessoas. E perguntam vocês, como sabem que estavam 250 pessoas? Pois bem, também aprendemos a defender-nos dos jornalistas que, sempre que aparecem em protestos a favor do bem-estar animal, se são dezenas de manifestantes, eles dizem que são unidades, se são centenas, dizem ser dezenas e quando são milhares, aí são centenas. Pois bem, fizemos 250 lacinhos para distribuir pelos manifestantes, eram lacinhos verdes e pretos, o preto representa o luto pelos animais que vocês insistem em abater, o verde representa a nossa esperança e a nossa persistência para que mudem as políticas municipais que vocês insistem em manter como a NÓDOA deste concelho. Os lacinhos? Distribuímo-los todos, alguns manifestantes foram obrigados a manifestar-se sem eles porque se ESGOTARAM.
Quando chegámos ao local do PROTESTO, comunicado ao Governo Civil, à Câmara Municipal de Oeiras e à PSP de Oeiras, muito tempo antes da data exigida legalmente (o PROTESTO aconteceu no Sábado, tínhamos que o comunicar 48h antes e fizemo-lo na Terça-feira, ou seja, cerca de 96h antes), tivemos outra surpresa, o parque de estacionamento, onde supostamente nos iríamos manifestar, estava cheio de carros estacionados. Dirigimo-nos à PSP, que nos remeteu para o polícia municipal que se encontrava à porta da Câmara Municipal de Oeiras, este informou-nos que ninguém “lhe tinha dito” que era para desocupar o parque de estacionamento. Mesmo assim, lá nos manifestámos, todos espalhados como queriam, para parecermos menos, dividir para reinar, também é À FRENTE.
Mas o melhor momento do dia estava reservado para a noite. Uma equipa, composta por um cameraman e uma jornalista da SIC, estiveram no local do PROTESTO mais de uma hora, captaram uma infinidade de imagens, entrevistaram várias pessoas e informaram que a peça, passaria nesse mesmo dia, 14 de Maio, no Jornal das 8, estivemos atentos do princípio ao fim do telejornal, visionámos, a custo, todas as “notícias”, aguentámos mesmo ver a promoção do negócio de um comerciante de cães pastor alemão (possivelmente amigo de alguém da linha editorial da SIC), a “notícia” da senhora a quem caiu o cabelo, a “notícia” sobre os biquínis mais apropriados a cada tipo de seios, e pronto, o PROTESTO que teve lugar em Oeiras e onde estiveram mais de 250 pessoas, não teve interesse para a SIC, muito curioso!

 (Núcleo de Oeiras da Campanha Nacional de esterilização de animais abandonados)

Dia 14/5 houve manifestação/protesto em frente à Câmara de Oeiras

Maio 15, 2011

Abates não, esterilização !

Animais não são lixo urbano !

Veja, leia e oiça as noticias em :

http://www.facebook.com/event.php?eid=192498927461265

http://sicnoticias.sapo.pt/Lusa/2011/05/14/oeiras-dezenas-de-pessoas-manifestam-se-em-frente-a-camara-em-defesa-dos-animais-cvdeo

Argentina – “Se não posso dar-lhes o meu tecto, levo um tecto até eles”

Maio 14, 2011

Um projecto de grande valor ético de apoio a animais abandonados, num país da América Latina. http://www.proyectoambulatorio.blogspot.com/

Lisboa – terminaram as audiências no âmbito da providência cautelar

Maio 12, 2011

As duas últimas sessões ( dias 2 e 11 de Maio) foram preenchidas com a audição das testemunhas do canil -Director do Departamento, Directora do canil/gatil e duas veterinárias do mesmo.

Aguarda-se a sentença.

O resumo  do que se passou nestas duas audiências será feito após conhecimento da sentença.

Texto acrescentado dia 16 de Junho

Relato das audiências de 2 e 11 de Maio em que foram ouvidas as testemunhas do canil.

 ( é favor confrontar este texto com o post de dia 17 de Abril- audição das testemunhas indicadas pela Campanha)

 Talvez que as duas frases que melhor espelhem o estilo das testemunhas do canil – à excepção do Director do Departamento da Higiene Urbana que proferiu um testemunho muito sóbrio sobre as dificuldades de manter a higiene dadas as condições das boxes do canil 1 (canil 1 :  estrados de 1m2 onde 65  cães, pequenos e grandes, estão acorrentados pelo pescoço)- sejam as seguintes:

–  os veterinários passam revista aos animais todos os dias e pela forma como se comportam detectam se um animal  está doente , por exemplo quando entram no canil 1 e nem todos os animais se manifestam “ felizes da vida” ( Drª Filomena)

– as condições na generalidade, não sendo as ideais, têm as condições mínimas e até muito razoáveis , incluindo o canil 1 ( Drª Ana Machado)

Quem tivesse ouvido os testemunhos das voluntárias que, com as suas idas ao canil, tentam subtrair àquele universo concentracionário o maior número possível de animais, dir-se-ia que estávamos a ouvir falar de duas realidades distintas:

Assim, segundo as testemunhas do canil:

– os cães não ficam molhados quando são limpos à mangueirada (com agulheta)  os estrados de 1m2 do canil 1 onde se encontram acorrentados , embora tenha ficado provado que não são retirados no momento da lavagem diária , quando muito apanham “com uns salpicos”.

– os cães do canil 1 são passeados embora ninguém soubesse dizer quantos cães por dia eram passeados ao certo; 

– os gatos têm vetbeds nas jaulas desde 2004 ( Drª Luísa Costa Gomes) , desde sempre (Drª Filomena), há muitos anos ( Drª Ana Machado ) 

– há comida e água em permanência nas jaulas dos gatos e os cães têm sempre água e comida uma vez por dia ( no dizer da  Drª Luísa Costa Gomes , duas vezes ao dia)

– lista de espera para esterilizações de animais adoptados: um mês e meio a dois meses, Drª Filomena ) ,

– desparasitação dos gatos ( só os mansos- Drª Filomena e Drª Ana Machado) , todos os gatos (Drª Luísa Costa Gomes) e todos os cães interna e externamente (Drª Luísa Costa Gomes)

– para todas as doenças predominantes no canil, pe .esgana , tosse do canil, panleucopénia, existem vacinas mas a única vacina que é administrada no canil/gatil é a anti rábica ( aos cães )

– relativamente aos vazios sanitários ( ou seja, quando umas uinstalações são desocupadas para desinfecção) as contradições foram inúmeras :

cães – feito um vazio sanitário há um ano durante 15 dias ( Drª Luísa Costa Gomes), nunca foi feito nenhum vazio sanitário ( Drª Filomena e Drª Ana Machado)

gatos – feito em Set/Outubro 2010 , os gatos fiçaram fora das instalações 15 dias mas a zaragatoa da panleucopénia deu positiva ; a DrªAna Machado que se ocupa preferencialmente  do Programa CER (gatos) desconhecia este facto e disse ainda que nunca foi feito mais nenhum vazio sanitário aos gatos para além deste

– os testes rápidos, os únicos que o canil faz ( para testar FIV- FELV, esgana leishmoniase) não são fiáveis, se um cão entra acidentado não têm radiologia nem fazem ortopedia nem podem avaliar as lesões internas ( “aquilo é um canil e não uma clinica veterinaria”  Drª Filomena)pelo que lhe são administrados unicamente cuidados paliativos ( Drª Ana Machado)

– número de gatos nas jaulas: máximo 1 ou 2 ( DrªAna Machado) , até ao limite de 5 ( Sr. Albino Almada ), por norma menos de 5 ( Drª Filomena ); as fêmeas prenhes e os gatinhos não são misturados com os outros mas uma gravidez numa gata pode não ser detectada e o animal vir a parir numa jaula em que a mãe se encontra com outros gatos

– colocação dos gatos nas jaulas: os gatos que entram em dado dia vão todos para a mesma jaula ( DrªAna Machado) , machos e fêmeas são separados ( Sr.Albino, responsável pelos tratadores)

– não existe quarentena, os animais com sintomas de doença permanecem com os outros.

A Drª Juíza classificou a Drª Luísa Costa Gomes como sendo “ uma testemunha agressiva”, instando-a a não replicar ao tribunal. A Drª Juíza afirmou já ter ouvido milhares de testemunhas durante a sua vida e saber distinguir quando se fala ou não verdade ao tribunal. Em dado momento, referiu mesmo que a sua vontade era acusar as testemunhas do canil de falsas declarações.

Ficou também claro que não existe hierarquia funcional entre os 4 veterinários actuais, nem director nomeado, todos respondem perante a chefe de divisão Drª Luísa Costa Gomes que não é médica veterinária mas que “dirige o canil” ( Drª Ana Machado). A própria  declarou  fazer a supervisão de todas as áreas de intervenção do canil/gatil.

 

 

 

Lisboa – Canil não exige titulo de propriedade dos animais a quem os vai entregar ao canil.

Maio 10, 2011

O alerta já tinha sido dado no e-mail que o Grupo de Lisboa enviou ao Sr. Presidente da Câmara de Lisboa a propósito das declarações da Drª Luísa Costa Gomes ao boletim da Junta de Freguesia de Marvila de Janeiro( ver post de 21 de Fevereiro) onde se escrevia:

É sabido que a falta de licença dos cães dá direito a coima e a Dr.ª Luísa Costa Gomes apressa-se a esclarecer que não há “qualquer sanção”, donde se deduz que se os donos os entregarem no canil/gatil sem terem as licenças em dia, estão perdoados. Quem decide isto? Que atropelo é este às leis da República? Como se prova, então, a propriedade do animal?Não é também para isso que existem as licenças?”

A situação não se alterou e o canil continua a exigir unicamente o comprovativo da residência em Lisboa da pessoa que entrega o animal.

Na medida em que a licença da Junta de Freguesia não é exigida como é que o canil tem a certeza que se trata do legitimo proprietário que está a dar a ordem de morte àquele animal ? Parece-nos uma situação de extrema gravidade.

A entrega para abate custa agora 11, 45 euros.

Cão Comunitário – Cartaz para divulgação do conceito (ponto 8 da Resolução da AR 69/11)

Maio 5, 2011

O Bóris, em reconhecimento do apoio que recebeu dos amigos quando se viu só, convidou o bi-campeão europeu de judo, João Pina, para o ajudar a salvar outros cães nas mesmas circunstâncias.

Com um grupo de pessoas que aceitaram dar o seu tempo, a sua imagem e as suas competências, fizeram este cartaz para divulgar o conceito de cão comunitário, e exigir às autoridades competentes , DGV e Câmaras Municipais, que os cães possam subsistir no seu habitat natural (por exemplo, os cães de oficinas e fábricas que a crise está a atirar para a falência) e os canis deixem de perseguir e capturar os animais, cuja subsistência e vigilância veterinária é garantida por uma parte de uma comunidade local de moradores.

Contamos consigo para imprimir este cartaz e colocá-lo na sua escola, no mercado, na fábrica, na rua, na junta de freguesia, no veterinário, no café, enfim, onde achar que o mesmo pode ter impacto e mudar assim o destino de muitos animais que hoje têm a vida ameaçada.

Resolução da AR 69/11

Lisboa – Providência cautelar

Maio 4, 2011

Continua, no próximo dia 11 de Maio às 10h ( todo o dia), a audição das testemunhas do canil.

As audiências têm lugar  no 7º andar do Tribunal Administrativo de Lisboa, no Campus da Justiça da Expo, e são públicas.

Lisboa – Há um ano, dizia o vereador Sá Fernandes…

Maio 1, 2011

…que as obras do canil/gatil, que , nunca é demais insistir, ficaram em primeiro lugar na votação do Orçamento Participativo de 2010, se iriam iniciar em finais de Setembro/Outubro de 2010 ( ver post de 3 de Maio de 2010). Viu-se.

A visão quase idílica do canil, que o video transmite, nada tem a ver com a crua realidade.

Com orgulho, a Directora informa que o canil está aberto 24h sobre 24h (para lá irem levar animais, acordados a meio da noite, certamente em circunstâncias estranhas, para entrarem naquele inferno, sim, porque ir entregar a meio da noite um animal a um canil devia levar  os responsáveis a interrogarem-se sobre a natureza do acto) mas para as adopções só funciona entre as 9h 30 e as 17h30. E é preciso que os animais estejam em condições de sair, isto é, que tenham passado 8 dias sobre o dia da captura, não sejam considerados perigosos – se um “dono” se quer livrar de um animal dirá que ele mordeu alguém…- aspectos vários que só o canil conhece, pois os munícipes não têm acesso aos processos dos animais.

http://www.youtube.com/watch?v=ypdsXgXpNNc&feature=player_embedded

Como contraponto, leiam-se as declarações do veterinário de Cantanhede no post “Canil de Cantanhede:um veterinário como nós”

https://campanhaesterilizacaoanimal.wordpress.com/2011/01.