Archive for Maio, 2015

Processo Judicial do Canil /Gatil de Lisboa – Reembolso das custas de parte aplicado em esterilizações de cães de bairro social

Maio 5, 2015

Como foi anunciado no post de 30 de Dezembro de 2014, os 1022.56 euros estão a  ser aplicados na esterilização de canídeos, numa acção concentrada num bairro social de Lisboa, de forma a maximizar resultados, através do controlo da reprodução localmente.

Já foram esterilizados uma cadela e um cão, mas a dificuldade da tarefa faz antecipar que o tempo de execução vai ser mais longo do que o esperado.

Assim, foi decidido proceder à transferência  da verba em causa para a entidade que está a realizar as esterilizações – a Associação Zoófila Portuguesa, AZP – que irá proceder à sua administração de acordo com o atrás expresso.

A AZP irá apresentar periodicamente os níveis de execução deste objectivo.

 

Anúncios

Lisboa – Resultados da Campanha de Esterilização de Gatos Silvestres

Maio 3, 2015

As informações que se seguem foram compiladas a partir do relatório final de execução apresentado à CML e à CAL .

O protocolo CML – GLCEAA, assinado em 28 de Julho de 2014,  restringia-se, inicialmente, à zona geográfica de Alfama/Castelo e deveria ter durado seis meses (http://www.campanha-esterilizacao.com/documentos/Protocolo.pdf ). Porém, tendo-se constatado o reduzido número de colónias abrangidas foi pedida a sua extensão ao conjunto das duas freguesias de Santa Maria Maior e São Vicente e prorrogada a sua execução por mais 3 meses,  até 27 de Abril.

Em Outubro de 2014, foram distribuídos folhetos aos moradores e afixados cartazes, quer pelas Juntas quer pelos voluntários, e realizadas 2 sessões, pouco concorridas, mas mesmo assim com a presença de alguns cuidadores interessados, para explicar o funcionamento da campanha, os seus objectivos e as vantagens da esterilização .A CML/CAL esteve presente na sessão de São Vicente ( S. Vicente,Santa Maria Maior, S. Vicente, Santa Maria Maior)

A campanha iniciou-se com 18 voluntários e muito pouco material próprio. No final, havia 23 voluntários e como material (adquirido pelo grupo, cedido por voluntários ou doado por clinicas veterinárias / munícipes) 18 transportadoras e 4 armadilhas mais elásticos e panos qb. e ainda 2 transportadoras e 2 armadilhas compradas e cedidas à campanha pela Junta de Freguesia de São Vicente.

As capturas prolongaram-se por 33 semanas, com uma média semanal de 7 animais capturados, inferior ao número de esterilizações possibilitadas pela CAL, e concentradas em dois dias por semana.

Durante esse período, foram capturados, entregues na CAL para esterilização e devolvidos às colónias um total de 227 animais (133 fêmeas e  94  machos) em 34 colónias intervencionadas. Foram criadas 25 colónias CER e assinados os respectivos acordos CED, envolvendo 211 animais.

Apesar de algumas colónias serem particularmente populosas, com 18 e mais animais, a maioria é composta por 5 a 10 gatos. A percentagem de fêmeas é, no conjunto das colónias, de 59% mas há colónias onde se aproxima e ultrapassa os 65%.

Dos animais esterilizados, faleceram cinco, dois deles passados 2 e 4 meses após a esterilização; desconhece-se o destino ( mortos ? circunstâncias ? ) de 3 animais, havendo ainda depoimentos que dizem terem desaparecido animais de uma colónia; 4 animais tiveram problemas nas costuras e foram tratados.

Entre os aspectos mais positivos da Campanha referidos nos testemunhos dos voluntários destaca-se :

– disponibilidade da gestão da CAL para discutir problemas e melhorias a introduzir durante o decurso da campanha;

– a realização dos pós operatórios na CAL ( seria impossível ter FATs para alojar este número de animais e as despesas seriam incomportáveis para um tão reduzido número de pessoas);

– o transporte dos gatos para as colónias, assegurado pelos funcionários da CAL;

– disponibilidade e bom trato dos funcionários aquando das entregas de gatos na CAL e nas recolocações, além de ajudas pontuais em capturas difíceis;

– horários de entrega de animais na CAL durante as 24 horas.

E assim, porque importa continuar a implementar o Programa CED, em colaboração com a Casa dos Animais de Lisboa, enterrando cada dia que passa, sempre mais fundo, aquele passado em que foram abatidos milhares de gatos das colónias de Lisboa, esta Campanha terá uma continuação em moldes que estão em definição.