Circular da DGAV -Campanha envia e-mails aos Partidos da AR pedindo que interpelem a tutela

“…Estamos a um ano do fim dos abates ( Setembro de 2018) e sem programas de esterilização – nem sequer a esterilização dos animais que dão em adopção está a ser cumprida pela maioria das Câmaras – vai-se assistir ao surgimento de um movimento para que os abates continuem sob o argumento de que os canis serão insustentáveis.

Se isso acontecer, estamos perante a maior traição e embuste que o poder politico alguma vez praticou em relação aos animais e aos cidadãos que os defendem…”

gp_psd@psd.parlamento.pt ; gp_ps@ps.parlamento.pt; bloco.esquerda@be.parlamento.pt

gp_pp@cds.parlamento.pt; gp_pcp@pcp.parlamento.pt ; pev.correio@pev.parlamento.pt

pan.correio@pan.parlamento.pt

 

Ao Grupo Parlamentar do Partido …

 

Exmos Senhores,

Vimos dar conhecimento, a esse Grupo Parlamentar , da circular nº 10 de 2 de Junho de 2017,que a DGAV enviou a todas as Câmaras do Continente criticando a actividade que a Campanha de Esterilização de Animais Abandonados está a desenvolver em prol da implementação da Lei 27/2016 de 23 de Agosto que a AR aprovou por unanimidade.

 

Na nossa resposta, evidenciamos, nomeadamente, a mudança de posição da DGAV , entre a circular que enviou às Câmaras em Novembro do ano passado e esta, relativamente à premência de controlar a reprodução, chegando mesmo a afirmar agora que “não existe nenhuma obrigação legal para a concretização de programas CED”, contrariando, deste modo, o que está expresso no Art.º 4.º da Lei 27/2016.

 

Consideramos altamente preocupante que a entidade que tem a seu cargo zelar pelo cumprimento da lei por parte das Câmaras Municipais revele semelhante falta de rumo e tememos que esteja em perigo  o cumprimento da própria Lei . Estamos a um ano do fim dos abates ( Setembro de 2018) e sem programas de esterilização – nem sequer a esterilização dos animais que dão em adopção está a ser cumprida pela maioria das Câmaras – vai-se assistir ao surgimento de um movimento para que os abates continuem sob o argumento de que os canis serão insustentáveis.

 

Se isso acontecer, estamos perante a maior traição e embuste que o poder politico alguma vez praticou em relação aos animais e aos cidadãos que os defendem.

 

Para evitar tal descalabro, muito desejaríamos que o Partido … questionasse a tutela acerca da execução da lei.

 

Aproveitamos para informar que temos uma petição aos Ministros da Agricultura e Adjunto,” Lei 27/2016 – É urgente o lançamento de campanhas de esterilização” (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT85591) para a entrega da qual pedimos uma reunião em 30 de Maio , e que ainda não conseguimos entregar.

 

Na expectativa de uma acção da vossa parte, apresentamos os melhores cumprimentos,

Anúncios

3 Respostas to “Circular da DGAV -Campanha envia e-mails aos Partidos da AR pedindo que interpelem a tutela”

  1. Adelaide Lourenço Says:

    Sou a favor da esterilização dos animais, para que se acabe em grande parte com esta miséria diária,é horrivel.Faço parte de uma associação, e sei bem o que isso é, já agora também faço um apelo ao ESTADO, e que o seguinte: ajudem as associações com dinheiro, para se fazerem todas as esterilizações necessárias, já que não temos apoios nenhuns. Está na hora do Governo criar essas verbas. Obrigada

  2. ana paula pascoal valente conde Says:

    Não ao abate ,sim á esterlização,honrra-mos os nossos animais

  3. Grupo Gatos Urbanos Says:

    Nao basta dar ordem para esterilizar.
    Quem define e fiscaliza as condições é competências para o fazer?
    Qualquer canil o pode fazer Em quaisquer condições?
    A vida dos animais q tiveram o infortúnio de ir para um canil não vale menos que outro animal. Os canis só devem poder operar se tiverem condições e competências comprovadas e verificadas para o fazer.
    Caso contrário as vítimas de cirurgias feitas de forma incompetente ou Em condições inaceitáveis serão também culpa nossa.
    canis não podem ser Campo de treino para cirurgias feitas Em condições impróprias ou por médicos sem experiência.

    há muitas formas de morrer num canil.
    Em que condições e com que competências são feitas as esterilizações?

    Quem autoriza? quem fiscaliza?
    Não pode ser o próprio canil á fiscalizar-se a si próprio
    Tem que haver condições e competências mínimas comprovadas. Quem não as tiver a tempo tem que fazer parcerias com clínicas para a realização de actos cirúrgicos

    Não podemos permitir que se passa da selvajaria do abate para a selvajaria da morte pós cirúrgica realizada em canis não oficiais , sem sala cirúrgica digna desse nome e sem médicos experientes nesse tipo de cirurgias.

    cumprimentos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: